Dynamic Variation:
Book
Choose Language
Search & Book
  • Hotéis

    Nordic Choice Hotels - uma rede hoteleira diferenciada

    Trivago - confira tarifas

    Booking.com - reserve agora

     

  • Vôos & Trem

    Widerøe - a maior companhia aérea regional na Escandinávia

    Momondo - encontre vôos baratos

    NSB - Ferrovias Nacionais Norueguesas

  • Balsas e embarcações

    Hurtigruten - "A mais bela viagem marítima"

  • Aluguel de automóveis

    AutoEurope - sempre condições ideais para o aluguel de automóveis

     

Search
or search all of Norway
Oslo Oslo
Credits
Oslo.
Photo: CH/visitnorway.com
Campaign
Partner
Media
Meetings
Travel Trade
Ad

A revolução culinária silenciosa

Da inspiração em outros países até a celebração do que é unicamente norueguês, primando pelas idéias modernas e não-convencionais: O reconhecimento das tradições culinárias norueguesas foi formidável.

No que concerne a gastronomia, crescer na Noruega, entre os anos de 1970s e 1980, era bem desanimador. Os mesmos pratos básicos apareciam no cardápio todos os dias (ao menos, essa é a minha memória) – aliviados apenas com pizzas, tacos e outros pratos importados, nos finais de semana e ocasiões especiais.

Nos últimos anos, entretanto, a revolução culinária aconteceu silenciosamente, tanto nos restaurantes quanto nas cozinhas caseiras, marcada pelo aumento da popularidade dos alimentos orgânicos. Muito se deve à nova onda de prosperidade e à predisposição para gastar mais dinheiro em produtos de alta-qualidade. No entanto, o fator que mais motivou essa mudança foi o reencontro com as tradições culinárias e ingredientes locais.

Muitos noruegueses que passaram férias na Itália e França exploraram suas tradições culinárias e sabores fantásticos. A culinária norueguesa é diferente, mas podemos alcançar o mesmo senso de auto-estima?

A primeira coisa a ser feita foi identificar o que realmente caracterizava a cozinha norueguesa. A resposta foi encontrada no caráter único dos costumes agrícolas da Noruega: Carneiros e cabras que pastam pelos campos litorâneos ou nas encostas verdejantes das montanhas. Um clima frio e livre de poluição que proporciona as condições ideais para cultivar frutas, amoras e legumes sem o uso nocivo de agrotóxicos.

Fazendas modestas e pequenas propriedades que produzem leite, queijo e carne em ambientes saudáveis, sem doenças e onde vigoram regulamentação rigorosa no que trata o bem-estar dos animais. E, finalmente, o extenso litoral, com riquíssimas tradições e opções de pescado e frutos-do-mar.

O trabalho duro ainda dá orgulho e garante bons resultados em todos os níveis da cadeia alimentar. Produtores locais são também acionistas nos supermercados, enquanto produtores de itens como queijos, mel, bolos e carnes ecológicas aparecem por todo o país. Isso para não mencionar as micro-cervejarias que inovam com inúmeras receitas de cerveja.

Uma variedade de sabores e tradições pode ser explorada num dos muitos festivais de comida local como Gladmat em Stavanger, Smak em Tromsø e Trøndersk matfestival em Trondheim.

Ao mesmo tempo, os chefs noruegueses receberam reconhecimento internacional com várias premiações e destaques no pódium da competição gastronômica internacional, Bocuse d’Or. Em 2012, Maaemo tornou-se o primeiro restaurante norueguês a receber três estrelas (num total de três possíveis) no guia Michelin.

O jantar suberbo é finalmente servido. Você é mais que bem-vindo para participar.

Experiências gastronômicas magníficas

Bom demais! O carneiro norueguês

A carne de carneiro norueguês tem a reputação de ser uma das melhores do mundo e, sinceramente, o título é bem merecido.

A carne é especialmente macia e suculenta, sobretudo em razão das pastagens verdejantes e vastas áreas de Natureza intocada com rica vegetação e cursos de água cristalina.

Além disso, os carneiros e ovelhas contribuem com a paisagem cultural e mantem a diversidade natural.

Um princípio sustentável aplicado na produção de carne determina que todo o animal deva ser utilizado após sacrificado, permitindo a elaboração de várias iguarias com as partes mais peculiares dos animais.

O fenalår da Noruega é o nome tradicional do pernil de carneiro curado. A iguaria vem de uma longa tradição de pendurar pernis de carneiro para secar no ar das montanhas, preservando a carne para consumo durante o inverno.

Pinnekjøtt, cavaletes de carne de carneiro curada na salmoura ou sal marinho é popular durante o Natal no Oeste da Noruega. Se você tiver muita sorte (e um pouco de coragem), você será oferecido uma cabeça de ovelha. O prata é conhecido como “smalahove” em norueguês, e surpreende pelo excelente sabor.

Valdresflye
Credits
Valdresflye.
Photo: Tina Stafrén

Credits
Valdresflye.
Photo: Tina Stafrén

Experimente! Quatro tipos de carne que você deve experimentar

O outono é a estação de caça na Noruega e carnes de caça apaerecem nos cardápios dos restaurantes e nas emsas dos lares noruegueses. Aqui estão algumas iguarias que você deve experimentar:

1. ALCE. A carne de alce é uma delícia quando preparada corretamente e seu sabor é comparado ao da carne de veado.

2. RENA. Situado no Extremo-Norte, existem mais de 250.000 renas na Noruega e o povo aborígene Sami é especialmente conhecido pelo pastoreio de renas. A carne é magra e deliciosa.

3. VEADO. Nos últimos anos, a população ultrapassou a de alces nas florestas da Noruega. Normalmente servida em bifes, também pode ser defumada, seca ou curada.

4. TETRAZ. O Tetraz é a ave mais procurada pelos caçadores noruegueses. O peito de uma ave jovem é macio, com um sabor marcante. As pernas e o resto da ave apresentam um sabor mais forte.

O pescado e frutos-do-mar na Noruega são divinos

Os pescadores noruegueses tem vendido pescado e frutos-do-mar para outros países desde o século XII e , atualmente, a Noruega é o segundo maior exportador de pescado do mundo. As águas gélidas e cristalinas, além do ar frio contribuíram para aumentar o potencial de comercialização do pescado norueguês.

No entanto, para experimentar o pescado no primor de seu sabor e qualidade você deverá visitar um mercado de peixes norueguês numa das cidades costeiras. Ou, ainda melhor, pescar a sua própria refeição. O bacalhau do ártico revela o auge de seu sabor e qualidade durante o inverno, quando muito viajantes chegam ao Extremo Norte com planos de observar as auroras boreais.

Pratos tradicionais com pescado norueguês incluem o famoso salmão defumado, enquanto o peixe salgado ("tørrfisk" em norueguês) foi o maior produto de exportação do país durante muitos anos e ainda é fonte de muito orgulho nas regiões setentrionais, em especial no arquipélago de Lofoten.

Rakfisk, ou truta fermentada é um outro prato tradicional para os mais corajosos. O mesmo vale para o mølje, no Norte da Noruega. Outros tipos de frutos-do-mar são normalmente associados ao Sul da Noruega, como por exemplo os camarões do Mar de Barents, caranguejos e mexilhões.

O reino dos queijos

A Noruega conta com algumas invenções famosas, entre elas o ostehøvel, ou fatiador de queijo. Por falar nisso, o fatiador foi criado por Thor Bjørklund, em 1920.

Poderá algum dia o queijo da Noruega alcançar a mesma fama? Nós certamente desejamos isso e uma variedade de produtores de queijo vem trabalhando duro para satisfazer mesmo os mais exigentes connoisseurs de queijos.

Novamente, a pureza do clima e o frio da região proporciona as condições ideais para a produção do leite de cabra e vaca de altíssima qualidade.

O queijo mais famoso da Noruega é, tradicionalmente, o brunost ou queijo marrom - com o soro de leite coalhado caramelizado. Entretanto, esse sabor não é para qualquer um e muitos estrangeiros experimentam uma vez para nunca mais (nossa dica: saboreie com alguma coisa doce, como os waffles noruegueses).

Entretanto, nos últimos anos os queijeiros mais interessantes da Noruega produziram uma variedade de produtos - tudo desde camembert, queijo azul e produtos tradicionais locais como o gamalost e pultost. Atualmente, você encontra mais de 150 produtores de queijo, espalhados desde o Sul da Noruega até Finnmark (Lapônia) no Norte.

Muitos dos negócios são administrados por jovens e ambiciosos produtores, ansiosos para experimentar novas técnicas, temperos e processos de amadurecimento.

Leia mais sobre comida na Noruega

Culinária local à maneira norueguesa

A popularização do consumo de alimentos orgânicos tem sido um tema de importância no cenário político da Noruega. Nos últimos anos, o consumo de alimentos sustentáveis explodiu.

Além disso, a palavra "kortreist" (literalmente "pouco-viajados") encontrou seu lugar entre os dicionários de culinária norueguesa. A palavra descreve que a produção e o consumo de comidas locais não depende de transportes com altos níveis de emissão de carbono. Muitos dos produtores locais combinam tradições culinárias históricas com técnicas científicas modernas para o desenvolvimento de alimentos com critérios de segurança ambiental.

Os produtos podem ser adquiridos localmente, ou por meio de grandes cadeias de supermercados que enfatizam a qualidade dos alimentos comercializados por produtores locais.

Muitos noruegueses também orgulham-se em cozinhar refeições com os próprios alhimentos que colhem. Durante o verão e outono, abundam nas florestas as amoras selvagens e saborosos cogumelos e sua colheita é realizada como uma atividade recreativa.

Dicionário dos frutos-do-mar

Bacalhau do Ártico – skrei
Escamudo-negro – sei
Bacalhau – torsk
Lagostim – sjøkreps
Zarbo – brosme
Linguado – flyndre
Eglefim – hyse
Halibute – kveite
Arenque – sild
Lagosta – hummer
Garapau – makrell
Mexilhões – blåskjell

Polvo – blekksprut
Ostra – østers
Solha – rødspette
Peixe vermelho – uer
Salmão – laks
Vieiras – kamskjell
Robalo – havabbor
Truta marinha – sjøørret
Mariscos – skalldyr
Camarões – reker
Atum – tunfisk
Peixe-lobo – steinbit

Opções de comida & bebida

Não é preciso esperar até a sua chegada para descobrir o que fazer.

×

Leia mais

Your Recently Viewed Pages
Ad
Ad
Ad